Tropa de Choque, Policia militar e Cavalaria: Policia para quem precisa de policia.

Por: Verinha

Estive no ato de Quinta feira,13 de Junho contra o aumento das passagens dos transportes coletivos, vou relatar o que vi:

Imagem

Cheguei as 15 horas na frente do teatro municipal, local da concentração e me encontrei com minha amiga Denise e um pouco mais tarde meu marido, Leandro.

Imagem

O clima era tenso,haviam policiais militares cercando o local, revistando a bolsa e mochila das pessoas que estavam por ali, ainda que não houvesse nenhum tipo de comportamento suspeito.

Imagem

Quando cheguei,havia poucas pessoas mas aos poucos chegaram mais e mais pessoas. Ás 17 horas eu contabilizava por alto 10 mil pessoas.As bandeiras das organizações tremulando, os manifestantes cantando, “Vai Haddad, dança até o chão/ aqui é o povo unido contra o aumento do busão” apesar do clima tenso, o bom humor dos presentes aliviou o cenário, era muito bonito de ver aquela quantidade de pessoas, todos unidos numa manifestação pacifica e legitima por seus direitos em comum, o de ir e vir, que o governo de Geraldo Alckimin e a Prefeitura de Haddad tentam nos privar, impondo altas tarifas para o transporte coletivo.

Imagem

Uma presença inesperada no ato foi das organizações Umes e Une, que possuem membros majoritariamente governista, abriram sua bandeira na ponta direita da concentração, e de repente começaram a sair puxando os manifestantes em marcha, sem ter em momento algum conversado com as demais organizações que participavam a fim de agir conjuntamente. Muitos ficaram sem entender, sem saber se deveriam ir ou ficar, até que as demais organizações resolveram juntar se a Une e Umes para seguir a marcha. Foi uma tentativa clara de fragmentar e por consequência enfraquecer a manifestação.

Saímos em marcha em direção a Praça Roosevelt, com gritos de guerra como “Mãos para o alto, 3,20 é um assalto”. Paramos. A manifestação havia se divido em duas, a Umes e Une saíram na frente mais vez arrastando atrás de si parcela dos manifestantes,  mais atrás as demais organizações pediam tempo para quem estivesse muito atrasado nos alcançasse e avisando quem estava a frente para esperar, assim seguiríamos todos juntos.

Imagem

Enquanto esperávamos pelos atrasados para nos unirmos novamente, cantávamos e repetíamos gritos “Diz ai motorista e cobrador, se o seu salário aumentou”…Havia um esforço para que nenhuma situação  pudesse justificar a repressão  da polícia. No entanto, ficou claro que a disposição da PM era a de reprimir e dispersar o ato de qualquer forma.

De repente uma correria do lado direito, tumulto, gritos, empurra-empurra,até que descobrimos o motivo: A policia estava perseguindo os manifestantes com cassetetes nas mãos e bombas de gás.

Tentamos manter a calma por que o que eles queriam era nos dispersar, resistimos, olhamos para frente e a policia militar havia feito um cordão a nossa frente para impedir que passássemos, a marcha mudou de direção e começamos a seguir quando eles nos atacaram com bombas de gás, várias.

Os manifestantes responderam pedindo “sem violência, sem violência”, mas não adiantava…a polícia partia para cima dos manifestantes, com disparos de bala de borracha, gás de pimenta e bombas de gás lacrimogêneo.

Neste momento em que eramos atacados a única saída era fugir, já que não desejávamos confronto com a policia, corremos entre os carros que circulavam na avenida, e a policia (Agora tropa de choque) atirava bombas sem respeitar nem mesmo as pessoas que não estavam protestando e seguiam sua rota dentro de carros, ônibus ou a pé.

Chegamos a um posto de gasolina, paramos um pouco e nos recompomos, agora não eramos mais 10 mil pessoas, mas aproximadamente 5 mil. Após um tempo para respirar, nos reunimos e saímos de novo, gritos de guerra, e fomos adiante subindo a Augusta.

O apoio das pessoas era grande,muita gente saiu nas janelas dos prédios para acenar, dançar ao som da batucada da fanfarra dos manifestantes, enquanto cantávamos “Vem, Vem para rua Vem contra o aumento”. Momento depois chega a informação vinda de cima que “a Cavalaria havia fechado o acesso a Paulista”, outra informação vinda debaixo “O choque havia fechado a parte debaixo”. Estávamos ilhados.

Alguns manifestantes decidiram subir e se necessário ir para o confronto, outros desistiram. Eu estava entre os que desistiram. Mas não foi fácil ir embora. Descemos e viramos a primeira a direita, a policia vinha subindo, corremos, até chegar na Avenida Nove de Julho, ouvíamos atrás de nós barulho das bombas e tiros, até que nos separamos completamente e ficou difícil nos identificar caminhando a passos tranquilos como qualquer transeunte.

Voltamos para casa ouvindo nas rádios os informes sobre a manifestação, neste momento os manifestantes que chegaram a Paulista já haviam entrado em confronto com a Policia, e eram culpabilizados, chamados de vândalos, declarações de Haddad e Alckimin mostravam o quanto a politica de ambos é reacionária e ditatorial.

index

no dia seguinte as redes sociais pipocavam com status questionando a sanidade de ambos,principalmente a de Alckimin, já que Haddad pelo menos se deu a vergonha na cara de admitir que os policiais “exageraram”.

Respondi aos comentários sobre a sanidade de Alckimin aos amigos da minha rede:

Muita gente vê o Alckimin falando e pensa:  “Ele é retardado?”

Não. Ele é fascista gente. O que esta acontecendo é “bom” para muita gente que nega existência da direita e da esquerda acordar, e ver que existe sim, a esquerda esta nas ruas junto com as demandas e lutas do povo pelo povo, e a direita esta no poder mandando massacrar o povo.

alckmin hitler

Eles querem o povo onde sempre estiveram, nós não podemos descobrir que eles nos enganam, que eles boicotam a educação propositalmente, que toda injustiça social existe com um fim: Mantê-los no topo sustentado por uma enorme maioria que o próprio sistema se propõe a alienar desde sempre.

liberdade-no-capitalismo1

Mas de repente alguns descobriram e contaram para outros, as redes sociais facilitaram a passagem de informação e o encontro destes descontentes, a “brincadeira” saiu do controle, não temos mais só a mídia burguesa para nos mostrar o que bem entende, acessamos o Youtube e vemos videos postados no mundo sobre revoluções.

– Todos estão lutando e nós no marasmo,por que?

Posicionamento de classe acontece quando encontramos identidades com outros companheiros que padecem dos mesmos problemas e descobrimos que somos oprimidos por uma minoria que quer se manter privilegiada e não reflete que promover igualdade é ser humano, ou melhor,até refletem mas mostram o dedo do meio para nós e nossos dramas dizendo:

– FODA SE!!!

Austeridade a pimenta

Esta mesma posição de classe eles tem também, e unem se contra nós não em quantidade numérica,mas com mecanismos que estão a favor da classe deles que é dominante e está no poder: Policia, mídia e igreja.

Tentarão nos dizer que Deus nos punirá! Tentarão fazer a opinião publica virar se contra nós! Se nada disso der certo colocarão a policia para nos reprimir duramente e fecharão o regime, tornando ditadura novamente.

Nós só vivemos uma democracia por que estamos passíveis,no momento que este movimento tornar se perigoso para a classe dominante, os porões da ditadura serão reabertos: Com PT e PSDB de mãos dadas como nossos algozes.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s