Estupros x Xenofobia aos refugiados na Alemanha

Por: Verinha Kollontai

12549120_1292382267454457_4671392816834377127_n

Na Alemanha o caso dos estupros cometidos por refugiados traz de volta a velha conhecida dos tempos do Reich, a xenofobia. Já faz alguns dias que temos sido cobradas a nos posicionar sobre este assunto, inclusive alguns grupos reacionários vem acusando o movimento feminista de calar – se por tratar se de “homens de um grupo que elas gostam”.

Para quem não sabe do que se trata, na noite de Reveillon de 2015/2016 Segundo a BBC, cerca de mil homens agiram de forma coordenada para assediar e roubar múltiplas vítimas. A polícia recebeu ao menos 90 denúncias de mulheres que foram assaltadas, assediadas e atacadas sexualmente, incluindo uma acusação de estupro, na noite de 31 de dezembro. Uma da vitimas relatou que eles dividiam se em grupos de 5 homens para proceder os ataques. Houveram relatos realmente horrorosos, como de uma multidão de homens na frente da estação de trem abusando das mulheres, tocando seus corpos, sem chance nenhuma de defesa das mesmas ou de seus acompanhantes. Até dia 8 de Janeiro havia 120 denuncias de estupro, segundo o periódico El pais.

Bom…

Em Primeiro lugar nós não toleramos machismo, esteja ele onde estiver. Se um homem oprimido seja por questão de classe, raça, sexualidade ou identidade de gênero cometer uma violência machista será constrangido e repudiado. Não existe a possibilidade de defendermos homens de grupos oprimidos quando em flagrante de machismo. Que fique claro.

Em segundo lugar, quem estupra não são os refugiados, são homens socializados em uma cultura machista, ou será que os dados estatísticos de estupro da Alemanha eram nulos até a chegada dos refugiados? Não eram, tanto que dados de 2009, demonstram que foram notificados cerca de 7.314 casos de estupro, uma taxa de 9 para cada 100.000 pessoas. 96,1% das vítimas eram do sexo feminino. Somente em 1997 foi reconhecido como crime o estupro conjugal, ou seja a cultura do estupro esta lá entre os alemães também logo, tratar como se este crime estivesse vinculado a este grupo por serem REFUGIADOS por si só já demonstra xenofobia.

Para prosseguir é preciso constatar que existe uma tendência de associar fatos ocorridos na sociedade de modo generalista há um grupo oprimido. Por exemplo: Drogas x periferia, como se a classe dominante não se envolvesse nunca em delitos tais, e sabemos que isso é um a grande mentira contada para jogar a sociedade contra aquele grupo oprimido deslegitimando suas pautas. O ódio aquele grupo passa a ser o clamor e não sua libertação.

Dito isso, sigo analisando que…

Se bem me lembro a Alemanha estava numa dúvida cruel se abriria ou não as portas para os imigrantes e dai chegou a conclusão que abriria sim por que chegariam muitos técnicos de nível médio, para trabalhar em postos que os alemães não queriam trabalhar, e só para lembrar que, a xenofobia é uma forma eficaz de rebaixar salários, inferiorizar pessoas, tratando as como subclasse de seres humanos.

Nós como marxistas não acreditamos em natureza humana, não acreditamos que os homens sejam estupradores em potencial, que estuprem por ter um pinto, que estuprem por que são irracionais quando o assunto é sexo, acreditamos que é uma construção social misógina, que as condições para esta construção são dadas pelo mundo patriarcal, machista e capitalista, formulando seres humanos desprovidos de empatia e com a falsa compreensão de superioridade que os faz ver nas mulheres objetos que existem ao seu dispor. Homens estupram mulheres por que não a veem como suas iguais, mas com seres humanos inferiores isto é ensinado a eles e não há fronteiras que limitem este aprendizado da masculinidade.

Só para exemplificar o que estou falando sobre xenofobia, a extrema direita lançou um logotipo, parece um bando de brancos (sim sei que são verdes) perseguindo uma MULHER negra (que parece tratar se de uma refugiada?). Racismo e misoginia justificado, mas quem estuprou as mulheres alemãs foram homens não é mesmo? Por que uma camiseta com um logo mostrando uma mulher? Seria o pedido de um revide? Estupre as mulheres deles também?

Outro exemplo, ontem(29/01/2016), um centro de refugiados foi atacado com uma granada, lá estavam homens, mulheres e crianças, ao todo 176 pessoas, entre as quais poderiam estar alguns culpados dos crimes cometidos no reveillon, ou não.

É ÓBVIO que toda agressão machistas contras as mulheres deve ser repudiada, por todo o movimento feminista de todas as vertentes, aguardamos providências da Alemanha contra os culpados cabíveis por lei, e reiteramos que não compactuaremos com xenofobia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s